pub-9301201605593009

Transformação Interior – uma dor necessária.


Do ponto de vista da psicologia, transformar significa uma mudança pessoal, uma evolução interior que abandona alguns costumes para assumir novos. Assim ocorre um
desenvolvimento interior. Geralmente, é no início do ano novo quando muitas pessoas determinam para si algumas metas pessoais, este é um ponto de inspiração para o desenvolvimento interior.

Todos os seres vivos trazem em si, duas tendências que se manifestam ao longo de toda a vida e em todos os aspectos: conservação e diferenciação. As pessoas se diferenciam pela mudança e, ao mesmo tempo, precisam conservar a si mesmas, como individualidades únicas.

 

As fases de mudança podem estar cercadas por crises, sendo a morte, a crise definitiva e que pode ocorrer em qualquer etapa da vida.


A transformação pessoal não para, pois estamos sempre em evolução, sempre indo e acontecendo. Muitas vezes, as mudanças que vivenciamos são sutis e, pode ser que demore para entendermos que estamos nesse processo.

 

Uma singela mudança de pensamento, uma atitude diferente, a escolha por usar determinada palavra ao invés de outra em uma discussão. São coisas pequenas, mas podem resultar em grandes transformações, como uma grande quebra ou um grande  recomeço.

 

Certamente você conhece alguém que largou o emprego fixo para dar início a um novo negócio, ou alguém que se separou depois de muitos anos de casamento, por perceber que vivia um relacionamento abusivo ou infeliz.


Não importa o tamanho da mudança: o mais interessante é perceber que a vida está em constante movimento e que transformar-se faz parte da nossa evolução.


E sabe o que é mais importante nesse processo de transformação? Saber, exatamente, o que quer mudar.


Saiba se a sua intenção é: perder uns quilos para estar no corpo que combine mais ou que esteja em mais harmonia com o que você queira, ganhar mais dinheiro com o seu trabalho, mudar de trabalho, para ter mais tempo livre, doar tempo ou dinheiro para o voluntariado.


Não importa qual seja o motivo que catalise a sua mudança: você só precisa saber o que quer, o que te deixará mais feliz, pois se você não souber qual mudança quer para a própria vida, será levado por ela.

Certamente, todos nós buscamos algo positivo nessa transformação. Veja o exemplo da borboleta: a metamorfose não acontece por acaso. Existem várias etapas para que a lagarta ganhe asas e se transforme nesse ser tão admirado por sua beleza e sutileza, mas antes de poder voar, existe o tempo de reclusão, de ficar no casulo, e permitir que a mudança ocorra.

 

Com as pessoas acontece o mesmo: há uma série de passos para a transformação ser positiva e saber o que quer é o primeiro e determinante.


Quantas vezes já enfrentamos desafios que até conseguimos resolver com rapidez e clareza, mas outros se arrastaram por longos períodos e até se repetiram, nos levando a descrer da nossa própria capacidade, ou até mesmo a não entender o porquê de estarem em nosso caminho?

Diante de situações assim, muitas vezes nos fechamos sufocados por não encontrarmos as soluções desejadas, nos considerando incapazes, frágeis, derrotados, e fugimos de todos e de nós mesmos permitindo que a tristeza nos convença de que não temos sorte na vida, pois tudo parece nos convencer de que estamos destinados a fracassar.


Ficamos ainda pior se alguém nos critica e aponta os outros como exemplo de superação, com a intenção de deixar claro que não somos capazes. Portanto, devemos considerá-los como a verdadeira oportunidade para atingirmos a transformação, que nunca será só externa, mas essencialmente interna, que nos permite as verdadeiras mudanças quando os absorvamos com entendimento.

 

Podemos enfrentar um grande vendaval dentro e fora de nós diante dos desafios na vida, mas só através deles crescemos e nos transformamos. Transformar atitudes equivale a colocar objetivos diante de nós e revisitar crenças, emoções e hábitos que têm alimentado o padrão atual de ação, tentando enxergar o que funciona ou nos prejudica. Precisamos fazer esse movimento, conscientes de que apesar de sermos completos, não somos perfeitos, carregamos o germe da transformação que exige contínuo reexame e um coração ardente impulsionado por atitudes coerentes.


Para mudar ou criar algo na nossa vida temos que tomar decisões. Depois da decisão tomada e para a mudança ser duradoura, é necessário realizar, tomar ações diferentes todos os dias, até que isso seja um hábito.

Tome a decisão de comandar a sua vida. Apaixone-se por ela e divirta-se com ela, afinal, você merece!


Andrea Naves Müller
Psicóloga CRP 06-103094
Fale comigo:
e-mail: andrea@navesmuller.com.br
WhatsApp: 11 99381-0019
Siga-me: @andreanavespsi