Coluna Divã da Autoestima

A importância do diálogo para o casal

com Dra. Francilene Torraca - Psicóloga

É muito difícil encontrar um casal que nunca teve algum desentendimento.

 

Os conflitos são comuns entre os casais, já que ele é composto por duas pessoas que nem sempre compartilham da mesma opinião. Apesar de não existir uma fórmula mágica para esta relação dar certo, o diálogo aberto pode ser o melhor caminho para os casais que buscam um relacionamento sólido. A maneira como você se comunica na vida e nas relações é fundamental para que você tenha êxito na área da comunicação nas suas relações como um todo. Falando especificamente sobre o diálogo entre os casais, fica claro que a comunicação pode fluir de forma íntima e verdadeira se houver entre o casal uma base sólida de companheirismo, compreensão, cumplicidade e confiança a ponto de um poder expor ao outro, sem receios, o que está se passando em sua mente e no seu coração.

 

Historicamente, os erros mais comuns cometidos por casais durante as discussões é o aumento do tom da voz, os julgamentos precoces e as agressões físicas e morais. Portanto, é necessário que ambos estejam empenhados em garantir a harmonia da relação, buscando o equilíbrio, desenvolvendo a habilidade de ouvir seu cônjuge com interesse. É bom quando temos alguém que nos dá atenção quando falamos e devemos exercitar isso de forma recíproca, estar atento a mensagem que o outro deseja passar,  ainda que esteja assistindo a uma partida de futebol na televisão ou ao seu seriado predileto.

 

Demonstre atenção por meio dos olhos e da expressão facial e corporal. É conversando que a gente se entende. Vamos falar sobre algumas alternativas que podem ajudar na comunicação do casal que busca mais solidez no relacionamento.

 

 

Como sugestão, um primeiro passo  para estabelecer a harmonia e, por que não, o amadurecimento da relação, é que não pode haver precipitações. Exerça domínio próprio a ponto de ouvir, com equilíbrio emocional, tudo o que seu cônjuge tem para lhe dizer. Devemos exercitar uma boa escuta nas nossas relações. Não cometa o erro de ficar interrompendo o outro enquanto ele fala, isso é inconveniente e irritante;

 

Não peça, impacientemente, que se fale com calma porque isso é uma incoerência; Avalie sempre o que vai dizer; Não use o silêncio como resposta porque isso pode fazer o outro pensar que ele está certo, ou que você o está menosprezando; É necessário falar, mas é importante avaliar primeiro o impacto que suas palavras irão causar. Se com o tempo você perceber que a comunicação do casal está muito ruidosa, sugiro um recurso bastante proveitoso: a terapia de casal, em que o profissional orienta os cônjuges em assuntos nos quais estes não chegaram a um consenso ou nem mesmo souberam escutar.

 

Se as brigas fazem parte da sua rotina e você percebe que seu relacionamento está à beira do fim, procure ajuda de um profissional.