Com o início de dezembro, percebemos que começamos a mudar nosso comportamento com relação aos sentimentos, ficamos mais sensíveis, mais complacentes, mais tolerantes e muito mais flexíveis, sobre sentimentos.

Não sei o que tem nesse período, que temos uma quase obrigação de sermos pessoas de bom coração, posso falar por minha experiência pessoal, eu passo o ano inteiro perdoando, chorando, excluindo, descobrindo, substituindo sentimentos e até mesmo lugares e pessoas, e percebi que não é um período ou mês que tem o poder de mudar nossa maneira de pensar ou agir, e inclusive sentir. Precisamos exercitar o perdão, e a gratidão, para que sejamos pessoas melhores.


Eu sei minhas lobas lindas, que a capacidade de resiliência difere de pessoa a pessoa, eu sei o quanto é difícil perdoar a quem nos tem ofendido, essa frase está na nossa oração Pai Nosso, mas acreditem em mim, quando tentamos perdoar, isso prova o início da cura emocional, pois começamos a querer banir de nós, aquele sentimento que nos aperta o peito, nos faz chorar, nos tira o sono, nos angustia e até balança a nossa fé.


A intensidade do perdão difere do tipo de mágoa, decepção, traição, injustiça, humilhação, exclusão... meus amores acreditem, são tantos sentimentos que podem nos fazer mal, porém não precisamos esperar o natal, para começarmos a nos livrar deles, até porque não é assim que o perdão acontece, é um processo lento e muito delicado, onde em muitas vezes, precisamos de
ajuda profissional para isso.

Estudos indicam que o perdão proporciona uma série de benefícios à saúde. O perdão é o ato consciente de esquecer o ressentimento contra alguém ou deixar de lado o desejo de vingança contra algo que, de alguma maneira, causou algum mal.


Perdoar é muito importante. Faz bem a mente e dá "paz no coração". O objetivo maior do perdão é trazer alívio e solução à pessoa que está sentindo raiva, ressentimento ou mágoa. Muitas pessoas confundem o ato de perdoar com consentimento e passividade. Perdoar os outros, e até mesmo a si próprio, não significa, de forma alguma, aceitar o comportamento que foi prejudicial, muito menos renunciar a valores que foram afetados, perdoar é outra coisa.

"Todo dia é dia de perdoar, durante o ano inteiro, não apenas em períodos natalinos.”


Talvez você já tenha ouvido falar que pedir perdão é uma dádiva. Entre os diversos temas de frases de autoajuda espalhadas pela internet, o perdão é um dos assuntos vencedores. Mas um estudo brasileiro revelou recentemente que os efeitos do perdão estão muito além da paz de espírito: perdoar faz bem à saúde e pode evitar doenças do coração.

O estudo “Corações feridos — disponibilidade de Perdão e risco cardiovascular”, apresentado por Suzana G. P. Avezum no 40º Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp) chegou à conclusão de que pessoas que têm dificuldade em perdoar estão mais propensas a sofrer um infarto agudo do miocárdio.


Suzana elaborou dois questionários e 130 pacientes responderam perguntas acerca da disposição para o perdão e também sobre religiosidade. Segundo a pesquisadora, as respostas deixaram claro: havia mais ocorrências de infarto entre quem tinha dificuldade de oferecer e pedir perdão,65 pacientes participantes do estudo relataram não ter qualquer doença cardiovascular. Os outros 65 já enfartaram alguma vez. Entre as categorias que mais apresentaram diferenças, estão “quebra de confiança” e “rejeição ou desprezo”.

Estresse e rancor podem levar ao infarto

 

Os níveis de estresse na população brasileira têm aumentado ao longo dos últimos anos. Segundo uma pesquisa do International Stress Management Association, que possui uma das bases no Brasil, nove entre dez brasileiros apresentam algum sintoma relativo a ansiedade. E cerca de 47% sofre de algum tipo de depressão.


È importante lembrar, que muitas pessoas estão depressivas e nem sabem, e outras alimentam tristezas que  confundem com depressão.


Então minhas lobas vamos falar sobre o cortisol, hormônio do estresse, quando produzido em excesso no corpo, estimula a produção de células gordurosas no abdome a ser preenchidas com lipídios, criando a gordura visceral, capaz de aumentar ainda mais o risco de doenças cardíacas — inclusive causar o infarto — e diabetes.


No estudo, 65% das pessoas que sofreram um infarto assinalaram que não estavam dispostos a perdoar em casos de quebra de confiança. Já o índice de que não sofreu infarto antes era de 35%. Na segunda categoria em destaque, “rejeição e desprezo”, 54% dos que sofreram infarto disseram que perdoariam, enquanto o percentual do grupo de quem não enfartou subiu para 72%.

Perdoar faz bem à saúde.  

A resposta é simples: não existe uma maneira de perdoar. Cada pessoa funciona à sua maneira. Se você está nessa situação, primeiro deve dar um tempo a si mesmo. Respire, concentre-se em você, procure atividades para se dedicar. Não se sinta pressionado(a) a perdoar alguém. E também não se sinta culpado(a) se não quiser.


Tudo vai depender de como você enxerga as coisas. Mas o importante é não guardar nenhum tipo de mágoa. Não remoer o ocorrido é essencial, já que recordar faz os níveis de cortisol aumentarem no corpo, prolongando o estresse.


Com o tempo você verá que perdoar foi uma das melhores decisões que você tomou em sua vida.


Tem estudos que provam um número cada vez maior  indicando que o perdão proporciona uma série de benefícios à saúde. 


Durante minhas pesquisas e estudos sobre esse tema para trazer para vocês, escolhi alguns temas e vou registar aqui aproveitem sem moderação .

1 – Perdoar incondicionalmente pode significar ter uma vida longa


As pessoas que praticam o perdão condicional, ou seja, aquelas pessoas que só perdoam quando os outros pedem desculpas primeiro, ou prometem não repetir as ofensas, têm probabilidade maior de morrer mais cedo, em comparação com a pessoas que perdoam incondicionalmente.  


2 – Perdoar deixa as pessoas menos nervosas


Estar cronicamente nervoso acarreta efeitos na pressão arterial e no batimento cardíaco, mas perdoar de verdade pode levar à redução do stress e conter o nervosismo.  Segundo comunicado da Drª Karen Swartz, diretora da Clínica de Consultas de Transtornos de Humor para Adultos do Hospital Johns Hopkins: “existe um enorme fardo físico em estar magoado ou desapontado”. Segundo estudo de 2001 do jornal Psychological Science, persistir no ressentimento, além de aumentar a irritação, também provoca a tristeza e sentimento de perda de controle.

3 – Melhora uma série de medidas de saúde (até mesmo o sono)


Estudo do Journal of Behevioral Medicine de 2005, mostra que o perdão está ligado a uma série de medidas de saúde, incluindo medicações tomadas, qualidade de sono e fadiga. Isso porque “o perdão promove uma “limpeza” de emoções negativas e ajuda a manter o bem-estar”, afirmam pesquisadores da Universidade do Tennessee.

4 – Fazer as pazes ajuda a perdoar a si mesmo

Quando você comete algo errado, ser perdoado pela pessoa que você magoou, ajuda a perdoar a si mesmo, como mostram pesquisadores da Universidade de Baylor. Uma pesquisa publicada no Journal of Positive Psychology, mostra que quem pede perdão por um ato, tem mais chances de perdoar a si mesmo. “Uma barreira que as pessoas enfrentam para perdoarem a si próprias é que elas pensam que merecem se sentir mal. Nosso estudo descobriu que fazer as pazes nos dá permissão para deixar as coisas passarem”, disse Thomas Carpenter, um dos autores da pesquisa.

5 – Seu coração vai agradecer 


O ato de perdoar se mostrou capaz de diminuir a pressão arterial em diversas pesquisas. Como no estudo, de 2011, feito pelo Jornal Personal Relationship, que mostrou que quando uma pessoa perdoa outra, ambas apresentaram redução na pressão arterial. E quanto mais conciliador for o comportamento da vítima, maior será a queda na pressão da pessoa que pediu desculpas.


6 – O perdão pode trazer benefícios ao sistema imunológico


Pessoas portadoras do vírus HIV que perdoaram alguém de verdade apresentaram um maior nível de cédulas CD4, que são consideradas positivas para o sistema imunológico. É o que mostrou uma pesquisa apresentada em um encontro da Sociedade de Medicina Comportamental, realizada em 2011.


7 – Pode fortalecer o relacionamento após uma traição ou resolver aquela relação doentia.


Perdoar verdadeiramente seu parceiro ou parceira após um caso de traição pode ser a chave para salvar, e até mesmo reforçar, o relacionamento. É o que diz um estudo da Universidade de Missouri-Kansas City. Os pesquisadores mostram que o perdão superou o tempo, a satisfação do relacionamento e o compromisso de superar a dos da infidelidade.


Na obra Perdão Total no Casamento, o escritor, editor, jornalista e teólogo, Maurício Zágari, apresenta aos leitores dicas para perdoar e ser perdoado em um relacionamento. Dividido em quatro capítulos, o livro ensina como prevenir problemas conjugais e reconstruir relacionamentos em crise, tipos de erros (ações, omissões e inversões) e características do amor verdadeiro e sua importância para a manutenção do casamento, além de perguntas para reflexão.

8 – Quem perdoa pode se proteger do stress a longo prazo


Um estudo recente do Jounal of Health Psychology, conduzido por pesquisadores do Luther College, da Universidade da Califórnia, aponta que perdoar antevê uma saúde positiva tanto mental quanto física. Além disso, os pesquisadores descobriram que o perdão protege as pessoas contra os efeitos negativos do stress sobre a saúde mental. 


Eu poderia ficar aqui falando durante 365 dias sobre o quanto nos faz bem perdoar, o quando pode ser  saudável para nosso corpo e mente, mas seria hipocrisia dizer que a mágoa existe e que não é fácil conviver com ela, aprender a dosa la para não se tornar ódio e dominar o limite da raiva, eu mesma vivo exercitando o perdão diariamente, e confesso o quanto é difícil me livrar desses sentimento tóxicos.


Mas tento diariamente, dia após dia me curar dessas chagas da alma e a cada perdão que pratico, me torno mais plena, leve e feliz, pois quando não perdoamos ,apenas nós que ficamos acorrentados, a  pessoa causadora do mal ,muitas vezes nem sabe o mal que nos causou, porque preferimos calar em vez de ir resolver as coisas esclarecendo e dando o direito ao outro de se explicar.

Percebo com o passar dos dias, meses e anos nos importamos menos, magoamos mais e resolvemos com o calar aquilo que é tão barulhento dentro de nós.


O melhor presente de natal que eu poderia dar a vocês, são essas dicas de como viver saudavelmente o ano inteiro, tentando fazer todos os meses como se fosse natal.


Livrem se do mal que afeta a alma, é difícil, mas o benefício do perdão cura qualquer ferida da alma.


Que vocês acordem todos os dias com aquele gostinho de natal.


Feliz Natal e Feliz Ano Novo minhas preciosas, um beijo na palma da mão de cada uma de vocês.

Saney Monte

Massoterapeuta,

tecnica em enfermagem. Coren-mg - 53029 

Instrutora regaste ,busca e salvamento.

Coach PNL

especializada

em Constelação familiar e sexualidade após menopausa.(Leiria-Portugal)

Instrutora de Defesa pessoal feminina.

@saney monte

Face:Instrutora monte 

Instrutoramonte2@gmail.com

Saneymonte@bol.com.br

W.app 22997828664