O Novo Normal

Em março de 2020 a vida de todos nós brasileiros começava uma mudança que veio nos apresentar o “novo normal”.
 

Mas afinal de contas, o que vem a ser este novo normal?
 

O novo normal, na verdade, seria a proposta de um novo padrão que possa garantir nossa sobrevivência. Primeiro aprendemos a ficar mais em casa, estar mais junto com a nossa família, às vezes me sinto em uma viagem no tempo. Lembro que meus pais contavam histórias de quando eram crianças, que brincavam muito com os irmãos e alguns primos mais próximos, que sempre faziam todas as refeições em família e buscavam brincadeiras no qual toda a família participava. A diferença que experiencio hoje é que existe a tecnologia, então a utilizamos a nosso favor, tanto para o lazer quanto para o trabalho.


Em convívio com a sociedade aprendemos a andar com máscara, nós mulheres já acostumamos a utilizar como mais um acessório e nos divertimos com os mais diferentes modelos.
 

Todos nós aprendemos a ser mais contidos, menos expansivos, guardando certa distância. Eu sinto falta dos abraços e também dos sorrisos, mas a garantia da segurança de que não vamos ficar doentes e não transmitirmos doenças faz com que assimilemos esse nova maneira de ser.


O novo, de alguma forma, me desinstala do que já conheço. Com o novo, espero um padrão de vida que não me pertence ainda. O novo vem carregado de necessidade de mudança, e a mudança pode ser algo profundamente traumático e assustador.


Este momento de transformação mostra como podemos sempre adequar nossas rotinas para algo que faça mais sentido com o que estamos vivendo. Hoje, por exemplo, criar uma sociedade mais consciente, responsável, empática e ainda mais digital. Não há dúvidas: estamos caminhando para um novo mundo marcado por engajamento, conectividade, ativismo e, acima de tudo, valorização da transparência como premissa para construir relações.


Precisamos entender que a mudança é constante. O momento nos ensinou que podemos fazer grandes transformações quando somos convencidos de que vale a pena.


Escuto muitas pessoas dizendo que o tempo ficou mais curto ainda, assumiram mais compromissos e se cobram e se culpam na mesma intensidade. Será que o novo normal é sobre estar ocupada integralmente de novo? Você está dando espaço para algo novo surgir? Como você tem aproveitado sua própria companhia? Vive preocupada? A mudança de fora exige a mudança de dentro e a abertura para o novo.


Explore suas emoções, incluindo o medo e a ansiedade. Lembre-se: as experiências que mais nos transformam são aquelas das quais mais desejamos fugir. Não fuja de você. Não fuja de uma experiência que pode transformar a sua vida. Sustente suas emoções e desconfortos internos, mas tente não se identificar com eles. Você está sentindo preocupação e medo. São sentimentos temporários e que não definem você, só estão passando por você. Pense nisso. Coloque em prática. Você não é a sua emoção. Você não deve negar o que sente, pelo contrário, abrace, entenda, não se apegue e toque o barco
pois ele passa.


Faça no seu modo e no seu tempo. Respeite-se. Não exija velocidade em um tempo de pausa. Não estou falando para você se acomodar na vitimização, mas faça um esforço e se reinvente. O velho ficou no velho mundo, junto com aquela exigência crítica megalomaníaca dos outros tempos. Mais essência, menos excesso.


Pessoas que sobreviveram e mudaram seus hábitos, fizeram novas escolhas, se tornaram mais humanas durante a presente pandemia. Pessoas que se cuidaram, cuidaram do todo, tiveram fé em Deus e confiança na ciência. Eu projeto, imagino, idealizo pessoas curadas e curando o planeta.


Eu escolho viver o presente. Aceitar a nova realidade e fazer parte do que acredito que pode ser a solução.


E você?


Se quiser, deixo aqui um convite para você, use os comentários para se expressar, me mande um e-mail, quero ler e ouvir você. Aprendo muito com trocas e compartilhamento de ideias, experimente, pode ser novo para você, mas também pode funcionar.
 

Deixo para vocês o meu carinho.

Andrea Naves Müller

Psicóloga especialista em relacionamentos

CRP 06-103094

andrea@navesmuller.com.br

@andreanavespsi