TOP LOBA DA CAPA - PAULA PEREIRA

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Paula Pereira, faz 40 anos em outubro, mora na capital de São Paulo, é divorciada, tem duas filhas que são as flores do seu jardim (como ela mesma diz rs), Beatriz e Manuela.


É advogada e ama sua profissão. Atualmente está cursando pós graduação em Direito Homoafetivo e de Gênero. É ativista nos assuntos relacionados a Igualdade Racial. Gosta muito de cantar, fez aulas de canto por um ano e meio e faz parte de dois coros como Soprano: Coral Umberto Urban (AABB/SP) e Coro da Vila.


"De uns dois anos pra cá, estou numa fase de redescobrimento, focando em saber do que eu gosto, quem eu realmente sou, coisa que nunca fiz kkkk, e principalmente, cuidando da minha autoestima."

Conheçam agora um pouco melhor, nossa Top Loba da capa:

Fotos: Raquel Carrer Mora

Você já deixou algum sonho para trás?


"Aos 9 anos de idade, pedi ao meu pai de presente de Natal, um par de patins, mas ele não me deu. Disse que eu poderia cair e me machucar. Ele sempre me tratou como uma princesa. Até hoje não sei patinar, e pra infelicidade dele, hoje em dia, as duas netas são atletas patinadoras kkkkk.


Mas acho que um sonho que deixei pra trás foi de me sentir aceita pelas pessoas...
Sempre fui muito tímida, e me achava o patinho feio da turma. Nunca me achei bonita, apenas inteligente."

Você se arrepende de algo na sua vida?


"Por cerca de 20 anos, não aceitei o meu cabelo crespo. Usei escova por este tempo todo para ser aceita pelo meu namorado, depois esposo; para ser aceita no campo profissional: fui secretária de um arquiteto muito renomado e depois me formei advogada. Cheguei a fazer escova progressiva por muito tempo.

 

Em março de 2018, tive um sério problema de anemia e minha resistência ficou muito baixa a ponto de perder muitos fios de cabelo. Em função disso eu não podia mais fazer escova. Foi a partir daí, que comecei a assumir minhas origens e me arrependo de não ter feito isso antes.

 

Atualmente, amo o meu cabelo crespo, estou super ligada às minhas origens e isso tudo isso deu início a minha redescoberta."

Qual foi a sua maior superação ou maior conquista?


"Minha maior conquista foi me tornar advogada. Quando entrei na faculdade eu estava casada e minha filha mais velha tinha 3 anos de idade. Tive que conciliar a maternidade, o ciúme do marido, eu trabalhava o dia todo e fazia faculdade a noite.


Foram anos difíceis. Quando estava no 4º ano da faculdade, engravidei da minha segunda filha: mesmo assim não tranquei o curso, e fiz o último ano com ela bem pequena. Me formei em 2013, e em 2014 passei na OAB. Para passar neste exame tão difícil e temido por todos, eu estudava de madrugada. A notícia da minha aprovação foi algo indescritível. Eu lutei e venci!"

Quais são seus cuidados de beleza? O que você faz para manter a auto estima em dia?


"Estou aprendendo a me maquiar, principalmente quando saio para o trabalho. Uso produtos próprios para cabelos crespos. Quanto a autoestima fiz algumas tatuagens no ano passado, foi uma coisa bem legal pra mim e esse ano fiz e farei alguns ensaios fotográficos. As fotos me fizeram muito bem, comecei a me achar bonita. Gratidão ao trabalho de uma amiga que ganhei este ano, a fotógrafa Raquel Carrer Mora."

Como você conheceu o Movimento Top Loba e por que decidiu fazer parte?


"Conheci o Movimento Top Loba através de uma amiga coralista Márcia Araújo. Resolvi fazer parte, pois achei interessante idéia de empoderamento feminino que o movimento possui. Estou vivendo essa fase e tem tudo a ver."

Quais foram os benefícios e mudanças que o Clube Top Loba trouxe para sua vida?


"O Clube Top Loba me ajuda com as dicas de beleza, maquiagem, postura, fotos e com as histórias de mulheres guerreiras que se superam a cada dia. Quando a Angel me contou a história dela, fiquei bem tocada. E acho muito importante o trabalho que ela faz com essas lobas, o que atualmente é chamado de sororidade, ou seja, solidariedade entre as mulheres: Juntas somos fortes!"

Qual conselho você daria para mulheres que se anularam e hoje estão insatisfeitas consigo mesmas?


"Eu tenho um grupo de amigas do Coro da Vila, e digo que somos uma irmandade, ninguém solta a mão de ninguém lá. Sou muito grata pelo apoio que elas me dão, seja na parte pessoal ou profissional. Meu conselho é se redescubra. Nunca é tarde para recomeçar. Pense nas coisas que você quer fazer na vida. Siga seus objetivos e procure grupos, como o Movimento Top Loba, para trocar experiências de vida."

Qual seu maior desejo daqui por diante?


"Na parte profissional, batalhar e ser reconhecida pelo meu trabalho. Na parte pessoal, quem sabe me tornar modelo kkk, não sei se levo jeito. Quero ver minhas filhas crescerem e se tornarem mulheres guerreiras, quero estar perto dos meus amigos e familiares e gostaria de  viver um romance bem legal, com a maturidade que tenho hoje."

Escreva uma frase que te representa hoje.


"Todo coração é um jardim, permita-se florescer. (Edna Frigato)"