pub-9301201605593009
 
IMG-8377.JPG

Oi queridas, sou Fabiana Weiss e essa é uma Coluna nova da revista Top Loba VIP, e tem por objetivo ajudar as leitoras desta revista encantadora, a elevarem sua autoestima de dentro pra fora, complementando o trabalho MARAVILHOSO que a Angel faz com todas nós, elevando nossa autoestima de dentro para fora.


Os textos que trarei aqui, serão apenas pílulas de assuntos sobre autoconhecimento, autodesenvolvimento, baseados nos meus estudos em Química, Neuropsicopedagogia, PNL, desenvolvimento humano, além de outros assuntos relacionados.


A cada edição, farei um bate papo informal com a Top Loba da capa, e chegaremos a um ponto comum sobre qual tema será abordado.

 

Mini currículo:
Fabiana Weiss, 41 anos, Top Loba desde dezembro de 2020, formada em química pela USP, atuou como professora de inglês para adultos, focado em executivos, por 15 anos e quando fez 40 anos, resolveu se reinventar e começar uma nova carreira na área de desenvolvimento humano, especialmente para mulheres. Pós-graduada em Neuropsicopedagogia, com  o intuito de entender o porquê tantos adultos ficam apreensivos quando tem que falar inglês, essa pós-graduação, mostrou que muitas crenças vem da infância, e que está enraizado nos nossos hábitos. A partir de estudos em PNL (Programação Neuro-Linguística), Coaching e Mentoring, e assuntos relacionados a protagonismo feminino, desenvolve uma metodologia única para mulheres maduras que desejam viver, com liberdade, a vida que escolherem, sem medo de julgamentos e desmitificando as falsas verdades que estão bloqueando seu progresso pessoal e profissional.
Contatos: WhatsApp: 55-11-99909-3396
Instagram: @fabyweissoficial

toplobaVIP-Mariza Paiva.jpg

Após conversar com a Top Loba da Capa, Mariza Paiva, o tema escolhido para este artigo foi: Perfeccionismo.

Perfeccionismo

“O maior desafio para um perfeccionista é aceitar as próprias imperfeições”

Marcello Carvalho

Quando falamos que uma pessoa é perfeccionista, isso é um elogio ou uma crítica? Depende.

O quanto esse perfeccionismo ajuda ou atrapalha a vida dessa pessoa?


Antes de responder, te convido a pensar, por que uma pessoa se torna perfeccionista?


Não existe uma teoria única ou verdade absoluta para responder, mas com os estudos sobre desenvolvimento pessoal, neurociências, pedagogia, PNL, entre outros, posso dizer que uma das razões de nos cobrarmos de ser perfeitos, começa na infância.


E pode começar de duas vertentes completamente opostas:

  • Você era cobrada pelos seus pais para ser a melhor em tudo;

  • Você era criticada por tudo o que fazia, ou simplesmente pelo que você era.

No primeiro caso, uma das razões para que eles te cobrassem a “perfeição” em tudo, é por transferirem para os filhos todas as expectativas que eles tinham para a vida deles e por algum motivo, não alcançaram. Não foi falta de amor por parte deles, e sim, que nossos pais são tão imperfeitos quanto todos nós.


Outra razão é que eles viam em você um potencial e só queriam te estimular, mas não quer dizer que esse estímulo foi feito da maneira “correta”, fazendo com que a criança se sentisse pressionada a ser sempre a melhor, às vezes, tendo que ser algo incompatível com a sua idade cronológica e/ou maturidade.


No segundo caso, pais que foram muito críticos com os filhos e/ou irmãos mais velhos que tinham suas próprias frustrações, e descontavam nos mais novos fazendo com que esses se sentissem inferiores, as vezes por meio de “bullying”.


Então, quando a pessoa chega à idade adulta, precisa provar para os pais e irmãos que ela é perfeita, que faz tudo direito.


Voltando a pergunta feita no começo do texto, o que você me diz?
Se você se considera uma pessoa perfeccionista, provavelmente dirá que é um elogio, mas se você não é e convive com quem seja, dirá que é uma crítica.


E quem está certa?

As duas.
Explico:
O perfeccionismo controlado, aquele que nos move a querer sempre ser melhor que NÓS MESMAS, é um elogio, pois estamos crescendo e evoluindo a cada dia.


Agora, aquele perfeccionismo que te machuca, que te impede de fazer o que você deseja, simplesmente porque “estou me comparando com outra(s) pessoa(s)”, esse é prejudicial.


O que posso dizer para essas mulheres que são perfeccionistas ao extremo?
Vamos fazer um exercício de autoanálise para aprimorar sua autonomia?


Escolha um lugar calmo, tranquilo, que você não será interrompida. Coloque uma música se quiser. Faça 3 respirações profundas. Feche seus olhos e volte à infância, e lembre-se porque você começou a ser perfeccionista. Perdoe seus pais e irmãos por frases e atitudes que não te fizeram bem. Coloque pra fora, seja escrevendo, socando uma almofada, ou até gritando. Quando sentir que aliviou, pelo menos um pouco, do peso do perfeccionismo, vá até um espelho, pode ser somente de rosto, ou de corpo todo, olhe-se nos olhos, e repita 3 vezes: EU ME AMO DO JEITO QUE
SOU! EU FAÇO O QUE EU DESEJO! EU PERDOO (nomes) POR TER ME CAUSADO DOR. HOJE SOU UMA MULHER BEM RESOLVIDA!


Repita essas frases todos os dias até quando você achar que precisa “se convencer” disso.

É isso queridas, espero ter ajudado e contem comigo sempre! Até a próxima!

Fabiana Weiss